Dados sobre o Autor

 

 

É com prazer que forneço aqui alguns dados sobre minha identidade civil e religiosa. Nasci, em 25 de fevereiro de 1938, no Município de Cedro-Ceará. Sou professor aposentado da Universidade Federal do Ceará e da Universidade Estadual do Ceará, formado em Letras, portador dos títulos de Mestre no Ensino de Inglês como Língua Estrangeira e de Ph.D em Linguística, pela Universidade de Illinois (USA).

Até o início de 1995, fui católico convicto, tendo recebido uma sólida formação católica, como seminarista e membro da Congregação Salesiana (por 12 anos). Em abril de 1995, porém, já com a idade de 57 anos, uma força misteriosa me fez comprar as obras de Allan Kardec, após a leitura das quais sofri uma verdadeira “revolução copernicana” em meu modo de entender o cristianismo.

Como parte dessa reviravolta em minha fé, convenci-me de que é preciso distinguir duas modalidades de cristianismo:

1) O cristianismo de Jesus (ou de Cristo), um código de moral universal, resumido na lei do amor, pluralista, unificador, no dizer de Kardec, “o terreno onde todos os cultos podem se reencontrar, a bandeira sob a qual todos podem se abrigar, quaisquer que sejam suas crenças, porque jamais foi objeto de disputas religiosas, sempre e por toda parte levantadas pelas questões de dogma” (KARDEC, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", Introdução, 1º parágrafo), e

2) O cristianismo dos cristãos, caracterizado, sobretudo, por um conjunto de dogmas (ou mitos) exclusivistas e divisionistas, fragmentado em centenas de igrejas e seitas, objeto de inúmeras controvérsias e de numerosos conflitos ao longo de sua história.

Diante desses dois cristianismos, decidi tentar seguir, a partir de então, somente o “cristianismo de Jesus”, procurando ser “cristão” apenas no sentido definido por ele mesmo, como aquele que ama o próximo: “Nisso conhecerão todos que sois meus discípulos [isto é, que sois “cristãos”], se tiverdes amor uns pelos outros” (Jo 13,35).

Como o espiritismo, em seu aspecto religioso, tenta seguir somente o “cristianismo de Cristo” (definindo-se como o “cristianismo redivivo”), confesso que me tornei “simpatizante” dessa doutrina e foi logicamente fundamentado nela, que escrevi a maior parte de meus livros ecumênicos. Desde 1995, venho estudando não somente o espiritismo, mas também várias outras religiões, sem ter me filiado, contudo, a qualquer uma delas em particular. Em suma, hoje, não estou mais preocupado em ser adepto de nenhuma instituição religiosa, mas somente em ser praticante da verdadeira religião – a vivência do amor (o “cristianismo de Jesus”).

 José Pinheiro de Souza

 
 
LIVROS PUBLICADOS
 

Todos os direitos reservados para o Professor Pinheiro - 2011 - Webmaster: Assis Abreu